Tiamina – Fontes, Benefícios e Deficiência

Revisado por

Graduado em Ciências da Nutrição!

Especialista do Dr. Saúde

Tiamina – Fontes, Benefícios e Deficiência que você deve conhece hoje mesmo. Alem disso, Vitaminas, vitamina b, vitamina b1, vitaminas do complexo b, tiamina, tiamina, vitamina B1, também conhecida como tiamina, é a primeira das oito vitaminas B.

Como todas as outras vitaminas do complexo B, a vitamina B1 é solúvel em água.

Sendo solúvel em água significa que o corpo não armazená-lo e a depleção pode ocorrer muito rapidamente.

A vitamina B1 faz parte do que é conhecido como vitaminas do complexo B e, como seus parceiros no complexo, ele ajuda a converter carboidratos em glicose e também metabolizar gorduras e proteínas em fontes de energia adicionais.

A maioria dos alimentos contém pequenas quantidades de tiamina. Grandes quantidades podem ser encontradas em carnes de porco e órgãos.

Outras boas fontes dietéticas de tiamina incluem grãos inteiros ou cereais e arroz enriquecidos, legumes, germe de trigo, farelo, levedura de cerveja e melaço blackstrap.

Fontes de Tiamina:

A quantidade de tiamina recomendada por dia varia de acordo com a idade e com o sexo. Por exemplo, os homens, a partir dos 14 anos, devem ingerir 1,4 mg ao dia de vitamina B1 pelo resto da vida, enquanto que as mulheres entre os 14 e os 18 anos precisam de 1 mg, a partir dos 18 de 1,1 mg e em situações de gestação e lactação, a quantidade ideal é de 4 mg ao dia.

As Melhores Fontes nos Alimentos São:

  • Legumes secos;
  • Carnes magras;
  • Leguminosas;
  • Nozes;
  • Aves;
  • Levedo de cerveja;

carne de porco (com 100 g é possível suprir 81% das necessidades diárias); Algumas pessoas em situações mais especiais precisam dos suplementos de vitamina B1.

Assim, gestantes, lactantes, idosos, pacientes de hemodiálise ou que sofram de síndrome de má absorção devem sim fazer a suplementação da tiamina sob orientação médica ou por nutricionista.

Para uma pessoa normal, uma dieta equilibra já consegue oferecer as quantidades necessárias desse nutriente.

Deficiência de Tiamina:

A hipovitaminose de tiamina pode apresentar 4 patologias: o beribéri seco (polineuropatia periférica, fraqueza muscular e anorexia), beribéri úmido (insuficiência cardíaca de alto débito com sinais congestivos), shoshin beribéri (beribéri associado com choque) e a encefalopatia de wernicke. A deficiência em vitamina B1 pode acontecer por vários motivos:

  • Falta da vitamina na dieta;
  • Deficiência na absorção desse nutriente;
  • Algum tipo de patologia que provoque diarreia ou vômitos;
  • Hipertireoidismo;
  • Gravidez e lactação;
  • Febre;

A principal doença causada pela falta de tiamina é o beribéri. Em todos os tipos há uma característica em comum: o metabolismo dos glóbulos vermelhos ficam alterados e as taxas de vitaminas B1, no sangue e na urina, ficam reduzidas.

Beribéri Seco:

É possível reconhecer esse tipo de patologia com alguns sinais e sintomas que acometem o indivíduo como sensação de formigamento na ponta dos dedos dos pés e também ardor na região, especialmente durante a noite. Dor e fraqueza muscular nos pés e nas panturrilhas.

Um sinal bastante característico é o dedo ou pé pendente. Aqui, os músculos e os nervos já estão atrofiados e tal forma que não consegue erguer essas partes do corpo de maneira normal.

Efeitos Colaterais da Tiamina:

Aqui é onde mora o risco de usar suplementos sem perguntar a um profissional. Não há histórico de contraindicações ou efeito nocivo da vitamina B1 para a saúde quando consumida em excesso.

Porém, em casos nos quais é necessária a administração por via endovenosa é possível observar depressão respiratória e choque anafilático.

Fibra – Fontes, Benefícios e Deficiência

Niacina – Fontes, Benefícios e Deficiência